Olá, meu nome é Diogo Bahiense, sou um filho da classe média, meu pai migrou pro Brasil aos 11 anos de idade e desde então trabalhou muito, pagou seus próprios estudos, se formou e prosperou. Minha mãe, brasileira, também de família humilde, ajudou meu pai nessa jornada cuidando da casa e dos filhos: eu e meu irmão – uma típica família patriarcal de classe média dos anos 90 e 2000.

 

Minha infância foi só brincar. Depois minha única obrigação era estudar. Tive acesso a boas escolas e cursos particulares. Nunca me faltou nada em casa, viajei a vários lugares com a família e ganhei meu primeiro carro quando fiz 18 anos.

 

Desde muito novo eu sempre quis ser rico, enquanto fazia faculdade de marketing abri minha primeira empresa, tudo bancado pelos meus pais. Eu tinha empregada em casa (casa dos meus pais), plano de saúde, alimentação, roupas, carro, e não fazia dinheiro ainda. Estava aprendendo a ser empresário já sendo empresário. Foi bom, mas doloroso.

 

Eu nunca tinha sido 100% independente, mesmo depois de ter empreendido em alguns negócios diferentes. Eu até conseguia uma remuneração mensal, mas era sempre menos do que eu consumia por mês, portanto não era independente.

 

Me mudei para a Austrália bancado mais uma vez pelo meu pai e lá reduzi ao mínimo meu estilo de vida, e o primeiro trabalho que consegui já me remunerou o suficiente para eu pagar tudo. Era uma vida bem simples, mas nunca havia me sentido tão rico em poder ser totalmente independente.

 

Mas isso durou pouco, eu não sabia lidar com o dinheiro, apesar de estar engajado na busca pelo conhecimento, não deu nem tempo para eu me preparar para imprevistos só que IMPREVISTOS SEMPRE ACONTECEM, e pra quem eu recorria quando eles aconteciam? Pro meu pai, lógico.

 

Por motivos pessoais, voltei pro Brasil. Eu estava cheio de gás, de conhecimento e de experiência. Iniciei mais um negócio, por conta própria, um site de vendas de produtos na internet, foi um sucesso, mais de meio milhão de seguidores no Facebook, mas haviam algumas falhas, errei em muita coisa, e não me deu muito dinheiro. Fiz pós-graduação em e-commerce mas depois de 7 anos sem dar muito resultado encerrei a empresa.

 

Minha mãe faleceu e herdei parte dos imóveis da família, que eu administro, e que passou a me dar uma renda mensal. Continuei estudando com afinco sobre o mindset da riqueza, sobre finanças e investimentos e hoje me sinto preparado para a escalada final da riqueza.

 

Fundando o Tigrão do Cifrão, quero chegar no final dessa jornada de independência e prosperidade junto com você, que sente as mesmas dores que eu, de querer um estilo de vida que você hoje sozinho não consegue pagar, mas acredita em seu potencial e está disposto a se dedicar para se sustentar e chegar na doce independência financeira.

Oi, meu nome é Rodrigo Henter, e mais um dos muitos filhos da Classe Média brasileira. Meu pai e minha mãe vieram ambos de famílias simples, trabalharam muito a vida toda, e com muito esforço conseguiram proporcionar para mim o que eles não tiveram na vida deles.


Nasci e vivi a minha vida toda sendo parte da Classe Média, um “lugar na nossa sociedade” que fica bem entre o Pobre e o Rico.

Tive brinquedos legais quando era pequeno. Nunca passei fome. Morava numa casa simples e dividia quarto com minha irmã mais nova. Nunca tive roupas de marca caras, mas também nunca passei frio. Na infância passei por alguns colégios públicos, porém mais tarde completei os estudos em boas escolas particulares. Fiz curso de inglês e informática. Desde que me lembro, tive plano de saúde. Ia ao dentista regularmente. Mais tarde pude me dar ao luxo de fazer faculdade. Apesar de estudar numa universidade pública, os custos com meu curso eram altos, e bancados pelos meus pais. Trabalhei em alguns empregos, e, sem muito sucesso, ainda continuava morando com meus pais com todas as minhas despesas pagas.


Entende agora o que eu quero dizer com o termo “filho da Classe Média”? Agora faz sentido pra você?


Enfim, mais tarde coloquei minhas coisas numa mochila e viajei para diversos países, e conheci diversas realidades novas pra mim. Apesar de uma vida mais simples, me encantei com a liberdade de não estar mais preso a uma estrutura familiar. Depois, quando voltei ao Brasil, comecei a me questionar o que eu deveria fazer para me tornar independente da minha família … e mais, ser rico de verdade.


Derrubei paradigmas que eu tinha em mim, e perdi a vergonha de assumir que quero abundância financeira sim! Decidi que estou disposto a abrir mão de boas coisas agora por coisas melhores ainda no futuro. Abandonei todas as distrações e passei a dedicar a maior parte do meu tempo a estudar a riqueza e o mindset das mentes milionárias. Em outras palavras, decidi deixar de ser o amparado e me tornar o provedor.


O Tigrão do Cifrão é um projeto onde vivencio na prática um processo de evolução pessoal, capaz de me tirar de onde estou e me levar até onde quero estar. Sim, tenho orgulho da minha história e gratidão a todos que me ajudaram, mas quero algo diferente para o futuro. Eu nasci e passei minha vida toda na classe média, mas não quero morrer nela. Vivi muito tempo na mediocridade, mas agora escolho a excelência e a alta performance. Essa comunidade é pra mim, e pra você, que queremos nadar contra a correnteza em prol de um prêmio maior.

Cadastro/Contato

Cadastre-se gratuitamente que a gente te avisa suavemente sobre novos episódios do TigrãoCast e conteúdos lançados em nossas plataformas.

Aproveita que você está aqui e manda um recadinho pra gente. Tem alguma dúvida? Sugestão? Proposta de parceria? Preencha o formulário aqui ao lado e mande sua mensagem pra nós.

TMJ Tropa!

A nossa empresa está comprometida a proteger e respeitar sua privacidade, utilizaremos seus dados apenas para fins de marketing.

Tigrão do Cifrão e TigrãoCast são marcas registradas © 2022 – todos os direitos reservados.